Coralnet.com.br - Página principal

Com o Santa Cruz das arquibancadas para o Mundo - desde 1996

Plantão de Notícias

73,5714285714286

Classifique:

Futebol Profissional

Constantino Júnior explica movimento para mudar formato da Série C

Publicado: terça-feira,17 de setembro de 2019, às 09:03
Por: Alexandre Ricardo

São dois anos seguidos em que o Santa Cruz participa da Série C do Campeonato Brasileiro e não consegue o objetivo principal de subir para a segunda divisão do futebol nacional. Depois de bater na trave ao atingir as quartas de final em 2018, o Mais Querido seguir passou da primeira fase na temporada 2019.

Nos bastidores, a direção coral apoia um movimento para discutir, junto a Confederação Brasileira de Futebol, um ajuste no modelo de disputa da Terceirona, que hoje conta com os 20 clubes divididos em dois grupos de dez equipes cada, classificando os quatro primeiros colocados de cada chave para o mata-mata, depois de 18 rodadas.

Quem explicou a forma como a situação vem sendo gerida foi o presidente Constantino Júnior, em entrevista à Rádio Jornal. Ele afirmou que o Santa Cruz e outras agremiações entendem que a Série C não deveria continuar encurtando o calendário de boa parte dos clubes participantes. A Cobra Coral, por exemplo, entrou em campo pela última vez no dia 24 de agosto.

" A Série C, do jeito que é disputada hoje, não premia a regularidade. A história tem mostrado pontuações muito equilibradas. A diferença do G4 para o sétimo colocado de um grupo é de apenas um ponto. Estamos indo para a CBF buscar algo nesse sentido. Já tivemos a adesão dos presidentes de clubes como Manaus/MA e Brusque/SC, que subiram este ano. Vamos tentar aumentar a competição, além de vendê-la de uma melhor maneira ", comentou o mandatário tricolor.

A estratégia passa por um diálogo também com o DAZN, plataforma de streaming que começou a transmitir o campeonato neste ano. Na opinião do presidente coral, as receitas podem ser ampliadas, fazendo com que um possível investimento seja realidade nesta intenção de ampliar a quantidade de partidas.

" Não vamos chegar na CBF só para pedir. Vamos formular a condição de aumentar a competição, com recursos da TV. Uma condição também de vender os naming rights. Num mata-mata, tudo pode acontecer. Às vezes a equipe vai muito bem na primeira fase e algumas situações podem acabar fazendo com que o acesso escape. Que a regularidade possa ser premiada, assim como acontece nas séries A e B ", complementou.

Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Compartilhe:

Constantino Júnior explica movimento para mudar formato da Série C

* Os comentários são de total responsabilidade dos internautas. Não toleramos mensagens contendo palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.