Coralnet.com.br - Página principal

Com o Santa Cruz das arquibancadas para o Mundo - desde 1996

Plantão de Notícias

68,6666666666667

Classifique:

Futebol Profissional

Julgado novamente, Pipico só poderá atuar no Estadual em possível semifinal

Publicado: terça-feira,12 de março de 2019, às 23:39
Por: Alexandre Ricardo

Na noite de terça-feira(12), o atacante Pipico foi novamente pauta do Tribunal de Justiça Desportiva de Pernambuco. Depois do pedido de efeito suspensivo por parte do Santa Cruz, o camisa 9 voltou a ser julgado pela expulsão na partida contra o Petrolina, pela quarta rodada do Campeonato Estadual. 

Sendo pauta do TJD-PE à revelia, ou seja, sem a presença da defesa no julgamento, Pipico acabou sendo punido em seis jogos, enquadrado no artigo 254-A, inciso II, que fala em "praticar agressão física durante a partida, prova ou equivalente, desferindo chutes ou pontapés, desvinculados da disputa de jogo, de forma contundente ou assumindo o risco de causar dano ou lesão ao atingido".

Com efeito suspensivo concedido antes da partida contra o Vitória das Tabocas, o centroavante foi liberado até uma nova sessão, realizada agora. A defesa do clube não pôde fazer uso de provas, exibindo um vídeo do lance, pelo fato do primeiro julgamento ter acontecido à revelia. Numa votação com placar de 5x4, Pipico continuou sendo punido, reduzindo o gancho de seis para quatro jogos. 

Sendo assim, o artilheiro do Mais Querido na temporada só poderá entrar em campo em uma possível semifinal do Pernambucano, já que das quatro partidas de suspensão, cumpriu uma de maneira automática, diante do Sport Recife. Além das duas rodadas restantes da primeira fase, Pipico será desfalque nas quartas de final, disputada em jogo único. 

Foto: CoralNET

Compartilhe:

Julgado novamente, Pipico só poderá atuar no Estadual em possível semifinal

* Os comentários são de total responsabilidade dos internautas. Não toleramos mensagens contendo palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.