Coralnet.com.br - Página principal

Com o Santa Cruz das arquibancadas para o Mundo - desde 1996

Matéria Especial

Retrospectiva 2013: O ano do retorno à Série B

Publicado: segunda-feira, 16 de dezembro de 2013
Por: CoralNET

O ano de 2013 vai chegando ao fim e a torcida tricolor não cansa de comemorar os resultados conquistados nesta temporada tão vitoriosa. Destaque na mídia nacional e internacional, depois de chegar ao fundo do poço e se reerguer, o Santa Cruz aos poucos vai reconquistando seu prestígio e sua força.

Este ano o clube coral além de garantir mais um título estadual dentro da casa do seu maior adversário, conseguiu retornar à Série B do Campeonato Brasileiro e, de quebra, ainda conquistou seu primeiro título nacional.

Para que os torcedores corais possam relembrar tudo que aconteceu em 2013, o portal CoralNET preparou uma breve retrospectiva:

JANEIRO

O mês de janeiro começou com muitas incertezas pelas bandas do Arruda. Depois de dois anos sob o comando do treinador Zé Teodoro, a direção coral optou pela vinda do ex-goleiro Marcelo Martelotte, que até então era pouco conhecido como treinador.

A chegada de Marcelo foi encarada como uma aposta pela torcida, que demorou a ganhar confiança no comandante. 

A temporada começou com a Copa do Nordeste, na qual o Tricolor teve um início apenas regular, ainda sem poder contar com o atacante Dênis Marques no elenco, que demorou a renovar seu contrato.

A estreia foi contra o CRB/AL, no Arruda, e terminou com vitória coral por 1x0, com um gol marcado pelo atacante Philco.

FEVEREIRO

Aos poucos o time de Martelotte foi ganhando forma e garantiu a primeira colocação no grupo da Copa do Nordeste, após uma bela vitória de virada sobre o CRB/AL, em Maceió.

A boa colocação deu confiança para a torcida, mas logo depois o Tricolor encarou o Fortaleza/CE nas quartas de final da competição e acabou sendo eliminado.

O resultado diante dos cearenses foi ainda mais traumático por ter sido dentro do Arruda e o gol da vitória do Fortaleza ter sido marcado aos 45 minutos do segundo tempo. Foi nessa mesma partida que Dênis Marques fez a sua reestreia com a camisa tricolor.

Eliminado do Nordestão, o Santa voltou suas atenções para o Estadual. E largou com uma sequência de duas vitórias seguidas.

MARÇO 

Apesar de ter começado bem o Pernambucano sob o comando de Martelotte, o Tricolor demorou a emplacar e acabou sofrendo duas derrotas dentro de casa para Salgueiro e Chã Grande, que deixaram a torcida bastante irritada.

A redenção só veio no fim de março, quando o Mais Querido foi até o estádio dos Aflitos e quebrou uma grande invencibilidade do Náutico, vencendo o Timbu por 2x0, com gols de Dênis e Natan.

ABRIL

Na reta final da fase classificatória do Pernambucano o Santa acabou conquistando dois empates seguidos contra o Porto e o Sport Recife, que deixaram a equipe coral apenas na terceira colocação da tabela e colocaram o Náutico como adversário tricolor nas semifinais.

Em paralelo ao Pernambucano, o Santa iniciou a disputa da Copa do Brasil e o primeiro adversário foi o Guarani/CE, que o Mais Querido derrotou duas vezes. Fora de casa por 2x1 e no Arruda por 2x0.

Na semifinal do Pernambucano, diante do Timbu, o Tricolor fez dois grandes jogos. No Arruda o Santa venceu pelo placar de 1x0, com um golaço de Renatinho, já nos Aflitos o Náutico ganhou por 2x1, mas a classificação para a final foi do Mais Querido por causa dos critérios de desempate.

MAIO

O mês de maio foi um dos mais felizes para a torcida coral. Em mais uma disputa de Estadual diante do Sport Recife, o Santa levou a melhor e garantiu o tricampeonato para o Mundão.

Na primeira partida da final, realizada no Arruda, Flávio Caça-Rato e Dênis Marques infernizaram a defesa do Sport Recife e garantiram a vitória coral por 1x0. 

No segundo jogo da final, na Ilha do Retiro, mesmo precisando apenas de um empate, o Santa venceu novamente. O placar foi de 2x0 com dois golaços: um de Flávio Caca-Rato, deixando o goleiro Magrão no chão, e outro de Sandro Manoel, que entortou a zaga rubro-negra.

Ainda na ressaca da comemoração pelo tricampeonato, o Santa teve que enfrentar o Internacional/RS pela Copa do Brasil. No primeiro confronto, em Recife, o placar foi 0x0, já na partida de volta os gaúchos venceram por 2x0, eliminando o Tricolor do torneio.

Para finalizar o mês de maio uma surpresa: O treinador Marcelo Martelotte despertou o interesse do Sport Recife e deixou o Arruda com destino a Ilha do Retiro.

Sem querer perder tempo, a diretoria coral contratou imediatamente o treinador Sandro Barbosa, que havia sido auxiliar de Zé Teodoro em 2011 e 2012 e tinha um ótimo relacionamento com o elenco.

JUNHO 

Depois de comemorar mais um título Estadual e ter trocado de treinador, o mês de junho chegou trazendo o início do Campeonato Brasileiro da Série C, principal objetivo do Mais Querido na temporada.

Foram apenas dois jogos antes da parada para a realização da Copa das Confederações no Brasil, mas já deu pra notar que seria uma competição complicada.

No primeiro jogo o Santa venceu o Luverdense/MT dentro do Arruda, por 2x0, porém, no segundo confronto, o Tricolor enfrentou o CRB/AL fora de casa e perdeu de virada por 2x1.

O que chamou atenção de todos foi a postura passiva do time diante dos alagoanos, mesmo perdendo o jogo. 

A paralização para a Copa das Confederações serviu para aumentar ainda mais a discussão sobre a qualidade do elenco, mesmo o grupo tendo sido mantido quase que intacto depois do Estadual.

JULHO

O Brasileiro só retornou no dia 07 de julho, quando o time coral enfrentou o Cuiabá/MT dentro de casa e venceu por 1x0. 

Depois disso o Santa emplacou uma vitória e um empate, mas logo na sequência foi derrotado no Mundão pelo Baraúnas/RN, que era, até então, o lanterna da competição.

A derrota para o lanterna foi emblemática e trouxe a tona novamente os questionamentos sobre o comando de Sandro Barbosa, que foram ganhando força entre os torcedores rodada após rodada.

AGOSTO

O mês de agosto ficou marcado pela queda de Sandro Barbosa do comando coral. Em quatro jogos o Santa só conseguiu uma vitória e ficou longe de garantir uma vaga na segunda fase da competição.

Além disso, com Sandro o time coral não conseguiu vencer jogos longe do Arruda e demonstrava um futebol apático. 

A mudança de comando técnico aconteceu depois da derrota para o Luverdense/MT fora de casa, por 3x1, no dia 18/08. O treinador Vica, que havia tido boa passagem pelo Fortaleza/CE em 2012, foi contratado.

A estreia de Vica não foi das melhores, e o Santa ficou apenas num empate sem gols, dentro de casa, contra o CRB/AL.

SETEMBRO

O segundo jogo de Vica sob o comando do Mais Querido foi logo no primeiro dia de setembro e pôs fim a uma longa sequência sem vitórias fora de casa. O Tricolor enfrentou o Cuiabá/MT e venceu pelo placar de 3x1, com gols de Luciano Sorriso e André Dias.

A vitória também foi marcante por ter sido o primeiro passo de André Dias para conquistar uma vaga como titular no ataque do Mais Querido.

Ainda em setembro o Santa conquistou mais duas vitórias e um empate em quatro jogos, melhorando bastante na tabela de classificação.

OUTUBRO

Na reta final do Brasileiro, o Tricolor conseguiu duas vitórias seguidas sobre o Rio Branco/AC e Brasiliense/DF e garantiu, de forma antecipada, sua classificação para as quartas-de-final da Série C.

Com André Dias no comando do ataque, o Santa começou a empolgar a torcida e a imprensa. Tanto que o Tricolor acabou a primeira fase do Brasileiro como o líder do seu grupo.

O problema é que o adversário do Mais Querido nas quartas-de-final foi o Betim/MG, que estava brigando na justiça com o Mogi Mirim/SP por uma vaga. A confusão judicial atrasou a disputa e fez o Mais Querido viajar duas vezes sem necessidade.

Enfim a justiça decidiu que o adversário do Santa na disputa por uma vaga na Série B seria o Betim/MG. E o primeiro jogo entre as equipes aconteceu no dia 27/10.

Logo aos 2 minutos de jogo, o lateral Tiago Costa fez uma grande jogada e abriu o placar. O Santa segurou a vantagem no marcador e saiu de campo com uma das vitórias mais importantes da temporada.

NOVEMBRO

E foi exatamente no dia 03 de novembro que a torcida coral gritou de alegria e de alívio ao conseguir o tão sonhado retorno para a Série B.

Precisando apenas de um empate diante do Betim, o Santa abriu o placar no segundo tempo com o atacante André Dias, mas logo depois cedeu o empate. O time mineiro partiu para cima em busca da vitória e deixou todos apreensivos, mas Flávio Caça-Rato, predestinado, marcou aos 45 do segundo tempo o gol da classificação.

O xodó da torcida coral levou ao delírio mais de 60 mil tricolores, que lotaram o Arruda para ver o Santa subir para a Segundona.

Com a classificação já garantida, o Santa disputou a semifinal do Brasileiro contra o Luverdense/MT e venceu os dois jogos. O primeiro, no Mato Grosso, acabou com o placar de 2x0, já o segundo o Tricolor venceu por 2x1.

Ainda em novembro o Mais Querido iniciou a disputa do título da Série C diante do Sampaio Corrêa, no Maranhão. O Santa segurou bem a pressão do time da casa e trouxe para o Recife um empate sem gols.

DEZEMBRO

Logo no dia primeiro do mês de dezembro o calendário do Mais Querido chegou ao fim. Em uma partida muito emocionante, o Santa venceu o Sampaio Corrêa/MA por 2x1 e garantiu seu primeiro título nacional.

O jogo começou com muita pressão do time coral, mas só no fim do primeiro tempo o Tricolor abriu o placar. Luciano Sorriso soltou uma bomba de fora da área, o goleiro rebateu e Dedé mandou para as redes.

No início da segunda etapa, Flávio Caça-Rato aumentou ainda mais a vantagem coral, ao marcar 2x0 para o Santa. No fim da partida o time maranhense ainda descontou, mas o troféu ficou mesmo no Arruda.

A cerimônia da entrega do troféu e das medalhas pôs fim a temporada 2013 para o Santa e fechou com chave de ouro um ano cheio de vitórias.

Em 2014, ano do centenário do Santa Cruz, o Tricolor espera repetir a dose!

Compartilhe:

Retrospectiva 2013: O ano do retorno à Série B

* Os comentários são de total responsabilidade dos internautas. Não toleramos mensagens contendo palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.