Coralnet.com.br - Página principal

Com o Santa Cruz das arquibancadas para o Mundo - desde 1996

Matéria Especial

Da vaia aos aplausos: Volante Memo se reinventa em campo e conquista a torcida do Santa

Publicado: quinta-feira,22 de dezembro de 2011
Por: CoralNET

O volante Memo começou a sua história no Arruda em 2007, quando o Mais Querido disputava a Série B do Campeonato Brasileiro. Durante os três primeiros anos no Mundão, o jogador sofreu acompanhando de perto o seu time despencar de divisão seguidas vezes até chegar à Série D. E, como participou de toda essa caminhada, acabou ficando marcado pela torcida coral.

Em 2011, assim como Santa, Memo se reinventou em campo. Assumiu uma vaga de titular no time de Zé Teodoro, mostrou muita garra e segurança durante toda a temporada e conquistou o carinho dos torcedores, que reconheceram a virada do jogador e deram todo o apoio que ele precisava.


Em entrevista exclusiva ao portal CoralNET, realizada na sua residência na cidade de Bonito (agreste pernambucano), o jogador falou sobre a emoção que sentiu depois de tantas conquistas este ano, as pretensões para 2012 e comentou um pouco sobre a sua vida particular.

INÍCIO

Apesar de muitos acharem que Memo foi criado nas divisões de base do Arruda, foi no América que o jogador deu seus primeiros passos, justamente sob o comando do eterno ídolo coral, o ex-atacante Ramón.  "Quando eu tinha 16 anos o América estava treinando aqui em Bonito e fui para o estádio ver. Quando cheguei lá vi que estava faltando jogadores para completar o time reserva. Corri até a casa de um amigo, peguei uma chuteira emprestada e entrei em campo. Logo depois do treino Ramón começou a perguntar por mim e me levou para a equipe dele."

"Só em 2007 tive a oportunidade de começar a atuar nos juniores do Santa, disputando a Copa Pernambuco. Me destaquei na competição e o treinador Mauro Fernandes solicitou à diretoria que renovasse o meu contrato e me levou para o profissional", contou.


DIFICULDADES

Segundo o volante, os primeiros anos no Arruda, vendo de perto a descida do time, fizeram ele pensar até em parar de jogar, mas no fim acabaram fortalecendo e levando-o ao caminho de Deus.

"Cair de divisão duas vezes seguidas e passar três anos na Série D foi horrível. Não era só a torcida que estava triste, nós jogadores também sofremos e cheguei a pensar em largar o futebol. Foi quando me converti e busquei forças em Deus para mudar a minha história e minha vida. Hoje, tenho certeza que isso foi fundamental para esse momento que estou vivendo" disse.


MUDANÇAS

As atuações de Memo na temporada 2011 lhe renderam diversas indicações da imprensa para ser um dos finalistas na eleição de Craque Tricolor no ano. Mesmo não tendo sido eleito (ficou em terceiro), o jogador se mostrou muito satisfeito com a indicação e se disse "realizado profissionalmente".

Essa evolução técnica do jogador, que é nítida, teve como um dos grandes responsáveis, segundo o próprio atleta, o assistente técnico Sandro Barbosa, que foi seu mentor. "É público que ninguém me queria mais no Arruda esse ano e se permaneci foi por causa de Sandro. Ele me apoiou, incentivou e procurou me ajudar a fazer o simples. Deu dicas e me guiou, por isso só tenho a agradecer a ele."

"Agradeço também ao treinador Zé Teodoro, que me deu oportunidade e confiança para atuar, e ao grupo que me acolheu e me incentivou. Jogadores Weslley e Jeovânio me ajudaram a crescer e ganhar força para encarar os adversários", explicou.

TORCIDA

Acostumado a escutar vaias da arquibancada durante as primeiras temporadas no Arruda, Memo hoje convive com uma fase bem diferente, recebendo o carinho e apoio dos torcedores diariamente. "No começo recebi muitas críticas e hoje tudo é diferente. Fico feliz em ver as pessoas na rua me abraçando e agradecendo, mas não posso me empolgar. Tenho que me esforçar ainda mais para manter a torcida do meu lado e conquistar o carinho de todos."

"Em fevereiro deste ano perdemos um jogo por 3 x 0 para o Central, em pleno Arruda, e quando desci para os vestiários muitos torcedores vieram me aplaudir e gritar meu nome, elogiando por meu empenho em campo. Naquele momento percebi que a torcida estava do meu lado e me impressionei", confessou.


FUTURO

De contrato renovado com o Mais Querido até 2015, Memo espera manter o mesmo nível do futebol apresentado este ano nas próximas temporadas e ajudar o seu clube do coração a retornar à elite do futebol brasileiro. "Estou tranquilo no Arruda, mas não acomodado. Quero sempre mais e vou buscar isso dentro de campo, sempre com a mesma força e raça. Quero estar aqui para ver de perto o Santa voltando à Série A e comemorar com a torcida", disse.

Segundo o atleta, para alcançar esse objetivo, o Tricolor deve trabalhar com metas curtas, como fez esse ano. "Começamos 2011 pensando em conquistar à vaga para a Série D e  só depois fomos atrás do título estadual. No Brasileiro foi igual. Queríamos o acesso e só depois disso é que fomos em busca do troféu. Se mantivermos esse pensamento de subir um degrau de cada vez, fica mais fácil chegarmos ao objetivo final, que é retornar à primeira divisão."


VIDA PESSOAL

Sempre muito ligado à família, o volante tricolor diz que dedica suas conquistas do presente aos familiares, que estiveram sempre do seu lado. "Tenho uma dívida de gratidão com meus pais e que honrar isso. Eles e meus irmãos sempre estiveram do meu lado e me ajudaram a chegar aonde cheguei. Minha base é minha família e nunca vou esquecer disso."

Por fim, o ano de 2011 se encerrará com mais uma conquista para Memo, dessa vez fora de campo. Depois de um ano de noivado, o jogador irá realizar o sonho do casamento, nesta quinta-feira. E o site CoralNET deseja toda felicidade ao novo casal.

Assista abaixo o vídeo feito pela equipe CoralNET na casa do atleta:


Compartilhe:

Da vaia aos aplausos: Volante Memo se reinventa em campo e conquista a torcida do Santa

* Os comentários são de total responsabilidade dos internautas. Não toleramos mensagens contendo palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.