Coralnet.com.br - Página principal

Com o Santa Cruz das arquibancadas para o Mundo - desde 1996

Matéria Especial

Entrevista com o zagueiro Leo Oliveira

Publicado: sexta-feira,22 de outubro de 2004
Por: CoralNET

Leonardo Lins de Oliveira, 26 anos, 1,81m e 73kg, nascido em João Pessoa na Paraíba. Considerado por muitos o melhor jogador da defesa tricolor, Leo Oliveira, como é mais conhecido, tem sido destaque em todos os jogos do Santa Cruz.

Apesar de não aparecer muito para torcida, a sua força como marcador, a voluntariedade e a qualidade na saída de bola, tem transformado Leo em um jogador indispensável. Bom cobrador de falta e sempre presente nas bolas alçadas à área, só tem dado alegrias a torcida tricolor.

Como você avalia a sua passagem pelo Santa Cruz?

Até agora considero minha passagem como boa. Procuro sempre por onde passo dar o máximo de mim e assim deixar as portas abertas. Estou me dando muito bem com a cidade, com o grupo e com a torcida. Estou bem a vontade.

Por quais clubes você já teve passagem?

Comecei no Mogi Mirim de São Paulo, passei pelo Democrata de Governador Valadares/MG, pelo Caxias do Rio Grande do Sul e pelo Criciúma de Santa Catarina.

Você tem uma saída de jogo muito boa, já pensou em jogar como volante?

Não. Já conversei com o treinador e deixei bem claro que só jogaria como volante se não houvesse outra opção. Prefiro jogar na zaga aonde tenho mais segurança.

Este é o seu melhor momento no Santa Cruz?

Está sendo um bom momento, não só meu, mas do grupo e do Santa Cruz como um todo. Estamos subindo de produção na reta final do campeonato, o que é importante.



Você se considera um zagueiro-artilheiro?

Nunca pensei assim. Não estou em campo para fazer gols e sim para impedir que eles venham a acontecer, mas sempre que aparece oportunidade de ajudar o time marcando gols eu aproveito.

Recentemente você marcou dois gols em um jogo. Qual a sensação?

Foi importante, mas não foi a primeira vez, pelo Caxias marquei dois contra o Londrina e pelo Criciúma fiz dois em cima do Flamengo. Naquele momento fiquei muito feliz porque tirei um peso das minhas costas, me cobro muito e fazia tempo que eu não marcava.

Em algum time você já teve oportunidade de subir para primeira divisão?

Não, nunca tive essa chance e também nunca fui campeão, mas estou novo, só tenho 26 anos e tenho certeza que vai acontecer.

Qual a maior virtude do time do Santa Cruz?

Com certeza a mistura da união e da personalidade de todos.

Fora de campo você é um cara calado e tranqüilo, no campo se transforma.

Isso é verdade, sou muito tranqüilo, converso pouco, mas dentro de campo a história muda, gosto de orientar os companheiros, gritar e vibrar.

A torcida tem se preocupado com as discussões entre os atletas no campo. O que você acha disso?

Isso é a vontade de vencer e acertar, sempre vai acontecer. Procuramos tirar o melhor dos nossos companheiros.

Qual o seu momento inesquecível no Santa Cruz?

Com certeza foi no jogo contra o Vila Nova quando marquei dois gols. Não foi apenas por causa de ter feito os gols, mas sim pelos momentos no jogo quando em ambas às vezes estávamos atrás do placar.



Você pensa em renovar seu contrato?

Ainda não parei para pensar nisso. Se no fim do campeonato o Santa Cruz tiver interesse em continuar comigo, vamos sentar e conversar. Meu passe é do Cruzeiro.

O que você acha dessa safra de zagueiros do Santa?

São grandes atletas. Baiano, Emerson, Rovérsio, Rafael e Valença ainda irão dar muitas alegrias ao Santa Cruz. Faço questão de passar toda a minha experiência pra eles, assim como o Roberto também.

Qual a mensagem que você deixa para o internauta da CoralNET?

Agradeço a todos que acreditaram no meu trabalho e me apóiam. Enquanto eu estiver vestindo esta camisa podem ter certeza que honrarei as cores do Santa Cruz com toda a minha força.

Compartilhe:

Entrevista com o zagueiro Leo Oliveira

* Os comentários são de total responsabilidade dos internautas. Não toleramos mensagens contendo palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.